Sabor de Poesia: mangochutney e geleia de pitanga do quintal para a sua mesa

Pé-de-fruta do quintal é sempre generoso, mas só vai dar fruto quando for a estação dele. Agora, por exemplo, estamos em plena safra natural de manga e de pitanga. Na chácara da empreendedora, jornalista e cozinheira de mão cheia Lúcia Leão, no Taquari (região do Lago Norte), a abundância de manga vira mangochutney e de pitanga vira geleia da Sabor de Poesia. A marca foi lançada em 2002 para aproveitar a generosidade da natureza e os talentos culinários da idealizadora e descolar uma grana extra.

“Estava procurando uma alternativa de renda e pensei em desenvolver um produto que alimentasse por inteiro. Bolei o rótulo que é como um cartão. Tem a reprodução de uma obra de arte na frente e se abre com uma poesia dentro. As poesias são todas do Vicente Sá, poeta maravilhoso e meu companheiro querido. As obras de arte foram cedidas por amigos geniais: Resa, Wagner Hermuche, Adriana Cascaes, Ribamar Fonseca, Nanche Las Casas, Mangala Bloch, Paulo Andrade e Fernando Lopes”, orgulha-se em bate-papo com o blog .

O rótulo poético e artístico embeleza as gostosuras preparadas por Lúcia sempre que tem fartura. Este ano, tem mangochutney e geleia de pitanga. A produção da geleia era apenas para o consumo doméstico e para presentear amigos, e só há três anos tem excedente para vender. Ela explica o passo a passo da sua receita artesanal. “Tem que colher uma a uma com a mão, cozinhar a fruta e depois tirar o caroço manualmente. Faço a receita básica geral, na qual fui dando meu jeitinho. Partes iguais de polpa da fruta e o açúcar, com umas gotas de limão para ficar brilhando, fogo e paciência”, ensina.

“Tenho também acerola, que processo com canela, e framboesa, que faço em geleia com pimenta. Este ano não sei se vai ter, porque elas estão tímidas. Acho que não gostam de tanta chuva. Eu também já fiz jambo em calda e cristalizado – esse não faço mais, porque juntou um enxame de abelhas assustador!”, conta.

No ano passado, Lúcia esteve na terra dela, Manaus, trouxe um bocado de cupuaçu e fez doce com castanha, uma iguaria tradicional entre os manauaras. “Atendendo a pedidos, estou fazendo também para vender. É o meu único produto que não é com frutas do quintal”, explica.

Nesta safra, Lúcia espera produzir uns 100 potes com 280 ml de geleia de pitanga, cada um custa R$ 25; e umas 200 unidades com 320 ml de mangochuteney, a R$ 30. O doce de cupuaçu com castanha é feito conforme a demanda e é vendido em embalagem de 250g por R$ 25. Uma opção saborosa para o guia de Consumo Consciente para este Natal: artesanal, com pequena produção e feita de forma sustentável.

Leão da Serra – A inquieta e criativa Lúcia é dona do Espaço Cultural Leão da Serra, que funciona na chácara onde mora e oferece área para pequenos espetáculos, projeções e eventos. Além de uma galeria-bistrot, onde pode-se degustar algumas das receitas mais emblemáticas da culinária brasileira – como o tacacá amazônico, o acarajé baiano e o cuscuz paulista.

Serviço

Sabor de Poesia
(61) 3591-8843
(61) 98520-1752
Para vendas diretas ou pedidos de entrega

Senhoritas Café (Degustação dos produtos)
CLN 408, Bloco E, Loja 42 – Asa Norte
Dia 14 de dezembro, quarta-feira
(61) 3340-2696

Espaço Cultural Leão da Serra
Setor Habitacional Taquari (SHTQ), Quadra 5, Conj. 1
Chácara Leão da Serra – Lago Norte
(61) 3591-8843
(61) 98520-1752
lmleao@hotmail.com
Abre de sexta-feira a domingo e eventualmente para eventos programados.

1 thought on “Sabor de Poesia: mangochutney e geleia de pitanga do quintal para a sua mesa

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: