The Street Store DF: dignidade para moradores de rua e pessoas vulneráveis

A primeira loja temporária gratuita e voltada para pessoas em situação de rua e vulneráveis, The Street Store, surgiu em 2014 na Cidade do Cabo (África do Sul), ganhou o mundo e desembarcou em Brasília em 2015. Esse tipo de pop up store simula o comércio tradicional ao dispor de roupas e outros artigos, além de oferecer assistência jurídica, alimentação, beleza, saúde etc. A diferença é que, ao invés de vender produtos e serviços, são feitas doações para o público-alvo. A proposta central é empoderar essa população vulnerável por meio da liberdade de escolha, oferecer tratamento humanizado e proporcionar experiência digna.

The Street Store-DF é uma das alternativas para praticar o Consumo Consciente neste Natal. A proposta é desapegar do que não tem mais serventia e estimular a doação. É uma forma solidária de dar novo uso ao que está sobrando para quem tem faltando. A coluna conversou com a organizadora dessa iniciativa, Ruth Maressa, 21 anos, sobre o quanto esse tipo de atitude contribui para disseminar o consumo consciente. Para ela, o projeto promove como um de seus ideais o consumo consciente. “Estimulamos as pessoas a repassar adiante aquela peça encalhada no guarda-roupa, que pode aquecer alguém e também devolver seu poder de escolha – elevando sua autoestima. Esse caráter de coletivismo do projeto se reflete no consumo consciente e colaborativo. Isso é lindo de ver”, opina. Como a iniciativa global tem código aberto, tem se replicado bastante a ideia de Street Store por todo o mundo, inclusive no Brasil. “O caráter inovador e inclusivo social de forma diferenciada são também pontos que agregam nesse tipo de projeto”, afirma Ruth.

Ruth teve o primeiro contato com o projeto pelas redes sociais, em 2015, ao assistir ao vídeo produzido pela iniciativa global The Street Store. “Encantei-me instantaneamente. A causa do projeto, a criatividade da loja e seu conceito inovador, mas principalmente a forma do voluntariado e o público que é beneficiado”, relembra. Ela conta que a educação recebida em casa e a prática do Cristianismo ajudou a forjar a sua consciência de coletividade.

A mobilização dessa rede solidária é feita principalmente pelas mídias sociais. “Pela internet, as pessoas conhecem a causa, fazem doações, se tornam voluntárias ou simplesmente divulgam”, comenta Ruth. Pelo menos 20 mil pessoas visualizaram algo publicado pelo projeto nas redes, sem contar as mobilizações dos parceiros (apoios e patrocínios) que incrementam esse número. “O que mostra que a internet pode ter utilidade pública e ser ferramenta de impacto social”, avalia.

The Street Store-DF movimenta elos de solidariedade pelo Distrito Federal e depende da participação de voluntários, que são capacitados e orientados por meio de um grupo do WhatsApp. “A ferramenta é utilizada por sua praticidade, a realidade dos dias atuais impede muitas vezes um encontro antes das ações”, explica.

Todas as doações passam por processo de triagem para facilitar o trabalho no dia da ação e são separadas por categorias e tamanhos (roupas femininas, masculinas e infantis; acessórios; itens de cama, mesa e banho e P, M e G). Desde que foi criada, a loja já recebeu pelo menos cinco toneladas de doações e atendeu quase mil pessoas.

Outra ação importante para a pop up solidária é o financiamento coletivo. As doações financeiras são recebidas por campanhas crowdfunding [financiamento coletivo na internet]; dinheiro em espécie entregue ao projeto; e depósitos e transações em conta bancária. “Quem doa recebe, posteriormente, uma comprovação de gastos. O projeto é sem fins lucrativos, então depende de doações para cobrir custos com estrutura, burocráticos e outros”, comenta.

No DF, existem iniciativas The Street Store organizadas por pessoas diferentes, porém todas com o mesmo propósito. Este projeto é identificado pela sigla DF.

Está no ar uma campanha para arrecadar doações em dinheiro para o projeto. “A vaquinha é para custear o projeto em 2017 e o Shopping Gratuito, ação que faremos no dia 15 de dezembro, em parceria com o projeto Amor que move e Solidariedade”, conta Ruth.  Acesse o Vakinha para contribuir.


Serviço

The Street Store DF
thestreetstoredf@gmail.com

Deixe uma resposta