Rosangela Carvalho: cultivo de horta e pomar no apartamento

#PessoasInspiramPessoas

Não é por falta de quintal que a bibliotecária Rosangela Maria de Melo Carvalho, 60, amante da natureza desde sempre e em todos os aspectos, deixa de cultivar horta e pomar em seu apartamento no Setor Sudoeste. Ela é a personagem de mais uma história da série que compartilha experiências inspiradoras para uma vida em sintonia com o consumo consciente.

A funcionária pública da Câmara Legislativa do Distrito Federal, nascida em Piripiri (PI), se autodefine quase candanga, pois mora em Brasília desde 1970. Já morou também no Rio de Janeiro (RJ) por 14 anos e, em Salvador (BA), por cinco.

A cobertura do apê de 234m2 tem metade desse tamanho, com área a céu aberto de 70me sempre foi refúgio de plantas ornamentais. Em uma visita a uma loja de jardinagem ela viu mudas frutíferas e resolveu comprar. Na ocasião, levou para casa pés de jabuticaba, limão – da casca fininha e amarelinha para recordar da infância em uma fazenda em Saquarema (RJ) – carambola e cajá. “Fui cuidando e lendo sobre o cultivo das frutíferas e me empolgando”.

Quando o limoeiro produziu o primeiro fruto, foi apoteótico e Rosangela ficou em estado de graça. Fotografou e comentou com familiares e amigos sobre o feito. Então veio o primeiro cajá e a floração da jabuticabeira para anunciar a chegada das frutas, pretinhas e reluzentes. “Ao chupar a primeira jabuticaba, meu Deus, fui às nuvens, agradeci aos céus tamanho presente, afinal sou perdidamente apaixonada por frutas e como diariamente de cinco a seis. Se tenho algum vício é este!”, revela.

Ao constatar que o cultivo de frutíferas havia prosperado, ela comprou mais mudas. Na mesma época descobriu que seria avó do primeiro netinho. Foi o estopim para Rosangela desatar a comprar mudas: romã, acerola, figo, goiaba, tomate e pitanga. O projeto da futura vovó era produzir frutas para o neto e para os passarinhos, outra paixão.

Nascido o netinho Matheus, Rosangela floresceu como as plantas e as frutas e foi tomada por uma alegria enorme e vontade de viver imensa. “Todos os dias molho minhas plantinhas, converso com elas, arranco os matinhos pedindo desculpas a eles, combato os insetos com produtos caseiros que aprendi em minhas leituras, uso fertilizantes orgânicos e terra adubada. Todas elas corresponderam ao meu amor e dedicação produzindo seus belos frutos e como cresceram alegres e majestosas!”

Outro momento inesquecível para a nova vovó foi o primeiro figo. Ela o colheu com o maior cuidado e carinho para levar para o netinho. Mais uma vez registrou em foto o tesouro enorme e suculento e o exibiu, orgulhosa, para os conhecidos. “O Matheus o comeu com a melhor boquinha do mundo! Pronto! A vida é bela!”, poetiza.

O pé de acerola produz a todo momento e segue lindo com frutos vermelhos que parecem enfeites natalinos. Rosangela descreve que presencia um espetáculo diário da natureza no seu apartamento. Não apenas com os frutos, mas também com a floração. “Algumas vezes flagro diversos e ariscos passarinhos comendo as acerolas e as jabuticabas. São tão leves e gentis!”

Além das plantas ornamentais e das frutíferas, Rosangela também cultiva os próprios temperos e tem sempre fresco, direto da terra, coentro, cebolinha, hortelã, manjericão, orégano e alecrim. “Não sou autossuficiente em minha produção caseira, infelizmente, mas procuro comprar tudo sem venenos e produtos químicos para evitar doenças e contaminação do solo, preservando nossa querida natureza”.

A filosofia do consumo consciente permeia desde muito cedo a vida de Rosangela. Os pais praticavam o conceito por necessidade. Filha de uma grande família do interior piauiense e com oito irmãos, a filosofia de vida era condizente com a realidade: disciplina, solidariedade, nada de desperdícios, valorização do que se tinha e muito respeito a tudo. “Lembro que fazia a feira com meu pai e tudo era comprado e repartido em casa irmãmente, nada de privilégios nem injustiças. A feira era semanal e não se desperdiçava nada.”

Os pais de Rosangela criaram os filhos com uma alimentação natural, sem enlatados ou embutidos. Além de ser caro, esse tipo de produto, na concepção acertada da família, fazia mal para a saúde. “Comíamos muitas frutas e legumes sempre. Depois, passaram a comprar produtos orgânicos e eu sempre os acompanhava. Até hoje continuo com este hábito de feira orgânica”. Aos sábados, ela frequenta a feirinha orgânica da 316 Norte, próxima à Igreja Messiânica, na companhia da mãe de 92 de anos.

Dicas para fazer a sua horta

Preparação

Clima –
 É determinante na adaptação de certas culturas e deve ser levado em consideração na seleção de variedades. As diferenças entre estações, quanto à temperatura e volume de chuva devem ser verificados, servindo como base para um calendário de épocas de plantio.
Solo –
  Muita atenção ao tipo e cuidado do solo. O solo é considerado um organismo vivo, que interage com a vegetação em todas as fases de seu ciclo de vida. Devem ser analisados em seus aspectos físico (textura e estrutura), químico (nutrientes) e biológico (organismos vivos existentes no solo).
Local –
 O lugar da instalação da horta tem de ser de fácil acesso, maior insolação possível, água disponível em quantidade e próxima ao local. Não devem ser usados terrenos encharcados. Os canteiros devem ser feitos na direção norte-sul, ou voltados para o norte para aproveitar melhor o sol. No local da horta não é aconselhável a entrada de galinhas, cachorros ou coelhos.
Espécies –
 escolha com cuidado o tipo de vegetal que cultivará. Cada espécie precisa de um tipo de tratamento e possui um ciclo de crescimento próprio. Informe-se na hora de comprar as mudas e sementes e verifique se aquele tipo se adequará à sua horta.

Dentro de casa
Para montar uma horta em espaços pequenos, como apartamentos, prefira os vasos. Eles podem ser de qualquer tamanho, apenas assegure-se de só plantar espécies que se adaptarão no local escolhido.

Passo a passo

  1. Escolha um vaso com furos.
  2. Encha um terço do vaso com brita ou pó de brita, para a drenagem.
  3. Coloque uma mistura de duas partes de terra, uma parte de composto orgânico e uma parte de húmus até a borda do vaso.
  4. Espalhe um pouco de areia.
  5. Plante as mudas.

Em espaços médios
Se você dispõe de um espaço um pouco maior, pode plantar as espécies diretamente na terra, em um canteiro. Você pode cultivar os mesmo alimentos indicados para os vasos, além de outros, que precisam de mais espaço.

Passo a passo

  1. Revolver o solo com enxada ou pá, deixando a terra bem solta e fofa.
  2. Misturar o composto orgânico.
  3. Deixar o canteiro 20 centímetros acima do nível do terreno.
  4. A largura do canteiro deve ser de no máximo 1,20 m.
  5. Marcar os espaçamentos (exemplo: os pés de alface devem ficar a dois palmos um do outro).
  6. Posicionar as mudas de maneira intercalada, em forma de triângulo, para evitar a erosão.
  7. Misturar as sementes com areia e espalhar com a mão sobre o canteiro de maneira mais uniforme possível.
  8. Regar pelo menos uma vez ao dia. Em regiões quentes, duas vezes ao dia até as mudas emergirem. Regar nas horas frescas, de preferência pela manhã.

Em espaços grandes
Se você possui uma área maior, como um terreno ou um amplo quintal, pode fazer uma horta mais estruturada e com maior variedade de alimentos. Essas dão mais trabalho, mas certamente você será compensado.

Passo a passo

  1. Monte a sua horta orgânica em uma área sem muito movimento. Se você tiver animais, coloque uma cerca de bambu, madeira ou outro material para que eles não entrem.  Escolha um lugar que receba muito sol. Se você mora em uma região seca, é preciso ter uma fonte de água próxima.
  2. Limpe a área que será plantada. Você precisa tirar as ervas, o capim, as plantas velhas e as pedras. Aproveite esses resíduos naturais para produzir seu próprio adubo natural.
  3. Are a terra quando tiver limpado o terreno. Use enxada ou arado para remover bem. A terra deve estar úmida para ser arada.
  4. Coloque o composto orgânico na terra para que ela seja mais fértil e as frutas, verduras e legumes cresçam facilmente. Espalhe uma camada de 4 cm de adubo e misture bem com a terra da superfície.
  5. Para plantar, faça um desenho da sua horta. Informe-se sobre como cresce cada fruta, verdura e legume que você pretende plantar, como eles devem ser agrupados e qual é a distância necessária entre eles para um bom crescimento.
  6. Faça sulcos a cada 30 cm, que atravessem a horta inteira. Isso organizará suas frutas e verduras e permitirá que você se desloque sem problemas pela plantação. Coloque tijolos, pedras ou madeiras dentro desses sulcos para poder andar sem pisar nas plantas.
  7. Siga as instruções das embalagens das sementes. Informe-se sobre o crescimento e agrupe-as de acordo com as informações que você obteve ou as indicações de um especialista.
  8. Proteja a sua horta contra pragas e insetos. Remova as ervas-daninhas que crescerem entre as plantas, já que elas absorvem a água que a sua horta precisa para crescer.

Dicas

  • Se o seu terreno é muito argiloso, acrescente areia junto com o adubo, para ele ficar mais permeável à água.
  • A irrigação é fundamental para um bom crescimento. O sistema por gotejamento é o ideal.
  • Você pode colocar palha nos sulcos para evitar o crescimento de ervas-daninhas.
  • Os tempos de crescimento de cada verdura, cada fruta e cada legume são diferentes, assim como as estações do ano em que cada um deve ser plantado. Informe-se bem a respeito e confira a tabela abaixo para saber quando plantar cada muda.

calendario-plantio

 

Deixe uma resposta