Garrafas de vidro não retornáveis em xeque em bares e restaurantes

Representantes de bares e restaurantes do Distrito Federal decidiram parar de vender, temporariamente, cervejas, refrigerantes e águas minerais em garrafas de vidros não retornáveis. A medida não se aplica a bebidas importadas ou a cervejas artesanais. Os comerciantes lançaram o Manifesto pela política de logística reversa de embalagens de bebidas nos restaurantes e explicam que como o DF não tem nenhuma unidade de reciclagem de vidro, essas embalagens quando descartadas são tratadas como resíduos sólidos indiferenciados e encaminhadas aterramento. “Além de todo o impacto ambiental, o descarte nos lixões e aterros provocam sérios riscos aos catadores”, alerta o texto.

Outra questão é o  contexto da Lei Distrital n° 5.610/2016, conhecida como Lei dos Grandes Geradores. “Esta situação contribui para onerar os estabelecimentos que comercializam produtos embalados em recipientes de vidro; grande número de bares e restaurantes poderiam ser tratados como pequenos geradores se não houvesse o peso dessas garrafas em seu lixo indiferenciado”.

Além disso, cervejas, refrigerantes e águas embaladas em garrafas de vidro não retornáveis têm como alternativa para comercialização garrafas de vidros retornáveis e latas e garrafas plásticas, ambas com viabilidade para reciclagem. “Na hierarquia da gestão de resíduos sólidos é preferível reutilizar a reciclar”, justifica o manifesto.

Deixe uma resposta