Rachel Potira: habilidades manuais com talento e generosidade

Conheci a Rachel Potira, 38, pelas redes e ficamos “amigas de Facebook”. Eu acompanhando o trabalho dela com crochê e encantada com a generosidade dela em compartilhar o que sabe. Ela sempre curtindo e ajudando a divulgar os meus textos sobre consumo consciente. Das curtidas e compartilhamentos, fomos para as mensagens pessoais. Só a conheci olho no olho em dezembro de 2017 numa feirinha n’A Lojinha da Virada Verde. Ela é mais incrível e simpática ainda.

Graduada em Letras-Licenciatura, atuou por pouco tempo na área. Rapidinho ela largou a sala de aula para embarcar no sonho de ter um ateliê. Desde 2007 canaliza as energias para o empreendedorismo criativo. Naquele ano, entrou no ateliê de uma amiga para tentar viver só do trabalho criativo, onde ficou até 2009, quando a marca Potira alçou voo solo.

Potira é brasiliense, mas tem um quê de mineira, patureba. As mãos habilidosas dela foram ensinadas em Patos de Minas, durante as temporadas com a avó paterna. Foi lá que ela aprendeu a bordar e a crochetar e mais um tanto de outros talentos, ainda pequena.

“Minha vó fazia tudo maravilhosamente. Cozinhava, torrava e moía café, matava os animais para o almoço e, no fim do dia, sentava para ouvir a novela enquanto bordava. Eu achava ela incrível. Também tinha uma tia que era outra mulher admirável. A minha tia Fátima. Tudo que era tendência ela corria e fazia para a gente. Ficava até mais bonito do que os da loja. Ela também me ensinou muito.”
Rachel Potira

Durante a adolescência, a mãe de Potira a matriculou em um grupo religioso para moças. Poderia ter sido traumático, mas ela fez bom proveito. Tinha reforço escolar, aula de violão, catequese, culinária, teatro e artesanato. Nessa jornada, aprendeu a ter autonomia e muita coisa boa nas aulas de artesanato.

No fim do ensino fundamental, encontrou um professor de artes que deu o empurrão que faltava para acreditar no próprio talento. Ele vibrava com os trabalhos dela e a ajudou a ter coragem de mostrar sua arte para o mundo. Começou a fazer vários cursos para conhecer e melhorar técnicas. Em 2002, com o nascimento da primeira filha – hoje ela tem duas meninas -, passou a vender o trabalho em feiras.

Atualmente, o ateliê de Potira funciona em casa, onde também ministra cursos e promove um encontro semanal de bordado. O trabalho dela inclui compressas de grãos, travesseiros de ervas, bonecas, bandeirolas de pano e artigos feitos em crochê para decoração. Só lindezas! Sou apaixonada pela Frida dela.

Frida feita pela Rachel Potira

A Potira tem um projeto lindo de crochê, o Happy Hour do Crochê. Toda primeira terça do mês, ela e um grupo de mulheres se reúne na Integralle Pizza Bar para crochetar e confraternizar.

Toda primeira terça-feira do mês, a mulherada das agulhas se reúne para conversar e crochetar.

“É uma delícia esse encontro e a partilha que acontece ali. São encontros gratuitos que contam com a parceria da casa que nos recebe e do Armarinho Karretel (ambos são empreendimentos locais, tocados por mãe e filha).”
Rachel Potira

Conheça, se encante e leve para casa o trabalho dela

Facebook / Instagram
Feira Enova de Produtos Autorais
Let it Go – Mercadinho Criativo
Happy Hour – Crocheteiras

Deixe uma resposta