Nádia Bacin: artista plástica e guardiã das abelhas

A arte de Nádia Bacin, 55, artista plástica autodidata e especialista em pintura engobe – que utiliza argilas líquidas coloridas – tem forte influência da Arte Primitiva. A inspiração vem das formas e cores da natureza. Suas peças em cerâmica são criadas a partir de pesquisas sobre a fauna e a flora do Centro-Oeste e esbanjam delicadeza e surpreendem na forma. Amante do cerrado, imprime em suas peças utilitárias ou decorativas sua visão do árido e do belo.

A gaúcha de São Borja mora em Brasília desde 2002 e, além das habilidades artísticas, é meliponicultura há dois anos. Ela faz parte do Grupo Guardiã das Abelhas, criado em novembro de 2017 para ser um ambiente no qual mulheres pudessem tirar dúvidas e trocar experiências sobre abelhas com e sem ferrão sem serem vítimas de misoginia e machismo.

“Quando as mulheres colocavam as dúvidas não eram ouvidas pelos homens e ainda eram ridicularizadas. O grupo é um espaço para nós mulheres trocarmos informações sem críticas. Além de poder colocar o nosso compromisso contra os agrotóxicos, uma bandeira muito forte do GGA”.
Nádia Bacin, artista plástica e guardiãs das abelhas

O coletivo preservacionista conta com a participação de cerca de 160 mulheres, entre pesquisadoras, técnicas, professoras, estudantes, amantes, extensionistas e, sobretudo, apicultoras e meliponicultoras, espalhadas pelo Brasil afora. Elas se uniram na luta para que as abelhas voltem a ser consideradas animais sagrados e respeitados por seu papel vital na Terra.

O primeiro encontro presencial desse coletivo foi realizado entre os dias 4 e 10 de março em Ilhéus (BA) e teve a participação de Nádia. Lá, as guardiãs redigiram uma Carta em defesa das abelhas. Esses insetos são, reconhecidamente, os polinizadores mais importantes do planeta, responsáveis por 75% da produção de alimentos e estão desaparecendo progressivamente desde 2006.

Encontro das Guardiãs das Abelhas em Ilhéus (BA)

De acordo com a carta das guardiãs das abelhas, a pesquisa científica internacional tem demonstrado a relação direta entre o uso indiscriminado de agrotóxicos, especialmente os neonicotinoides, com o colapso das colônias. Porém, a junção das forças da pesquisa brasileira com as commodities internacionais do agronegócio e dos agrotóxicos leva ao falso entendimento de que é possível a convivência pacífica entre a agricultura convencional, a apicultura, a meliponicultura e o modelo econômico vigente.

No Distrito Federal, o Grupo Guardiã das Abelhas conta com a participação de cerca de 20 mulheres. Em breve, o coletivo dará asas ao projeto Mulheres Abelhas, para oferecer cursos sobre manejo e criação de abelhas com e sem ferrão (meliponas e apismelíferas). A atividade é aberta, mas o foco é atender mulheres interessadas no assunto. A primeira ação está prevista para o final do mês de abril: um curso ministrado pela professora Generosa Sousa.

Paixão pela Vida

Desde criança, Nádia é uma observadora do mundo dos insetos e admiradora das abelhas. Com a mudança para Brasília, teve o primeiro contato com as abelhas sem ferrão e foi ferroada pelo amor a esses seres incríveis. Agora, as abelhas somam-se às formigas, calangos e libélulas como fontes de inspiração do cerrado. Em breve ela lançará uma linha de peças com jataí, uruçu, mamangava e várias abelhas. Além de trazer beleza para o mundo, quer também promover conhecimento sobre o universo encantado das abelhas nativas brasileiras.

“O meu compromisso sempre é com a Vida. Eu sempre me refiro à Vida com letras maiúsculas. Porque se não tivermos como defender essas grandes polinizadoras, que estão no topo da responsabilidade da polinização de todos os alimentos, nós não vamos ter para onde correr. Não vamos ter alimentos. Não vai haver vida.”
Nádia Bacin

Você pode conhecer a arte de Nádia Bacin em exposições eventuais das quais ela participa. Entre os dias 6 e 16 de abril, a obra dela estará exposta na sede do Tribunal Regional Federal da 1Região. Ela também ministra curso de cerâmica em um ateliê na Asa Norte, com aulas sempre às terças-feiras, com turmas à tarde e à noite.

Serviço

Exposição Nádia Bacin
De 6 a 16 de abril de 2018
TRF 1Região (Setor Bancário Sul Bloco A Quadra 2 – Asa Sul)
Curso de cerâmica
CLN 316 Bloco C Subsolo Sala 69 – Asa Norte
Terças-feiras, das 15h às 18h e das 19h às 22h
Contato
+55 61 99968-1491

Deixe uma resposta