Dani Acioli: desenhos para vestir

Eu visto desenhos de Dani Acioli para afugentar as más energias. Essa minha amiga querida, pernambucana, cheia de talento e vitalidade, é uma jornalista de profissão e desenhadora de sentimentos. Vez ou outra, resolve separar uns desenhos para minicoleções de roupas. Foi assim com a #paratarsila, em homenagem a Tarsila do Amaral. A danada multiplicou leituras do Abaporu em bodys, shorts e vestidos. Telas de vestir. Eu guardo memórias com essas peças de Dani. Espia:

Agora, ela acaba de lançar uma minicoleção com Zuzu – um desenho de vestir. Em 2016, Dani Acioli expôs uma série de desenhos para celebrar a obra da estilista carioca Zuzu Angel. A mostra Tramas: Diálogos com Zuzu passou pelo Rio de Janeiro e Recife. Agora, parte da cenografia deste trabalho virou 20 peças. Tem kaftas e camisetas e cada peça é única. Um desenho de vestir. 

Sete faixas de chiffon tiveram sua função: a cenografia da mostra Tramas: Diálogos com Zuzu. Dani deu para os tecidos uma nova finalidade: desenhos de vestir. Escolheu fazer, pela primeira vez, um modelo de kafta. Uma tela com “rasgão” no pescoço e costurada nos lados. Tem a simplicidade que buscava, com o desenho no centro das atenções. Foram 12 kaftas e mais 10 camisetas. As peças foram cortadas para dar exclusividade a cada uma.

“Esses tecidos ficaram guardados por mais de um ano. Porque eu precisava resignifica-los. Não tinha nascido como os anteriores para virarem roupas. Eu não sou da área de moda, não é meu foco de trabalho. A moda no meu trabalho precisava ser simples e dar vida ao desenho. Porque é uma roupa, claro; mas, para mim, é vestir uma arte, um desenho.”
Dani Acioli

Os desenhos de Dani falam sobre o feminino. As delícias e as dores. Você bate o olho e identifica a inspiração na cultura popular nordestina. Sem rótulos, Dani adora inventar moda para desenhar. Não pode ver canetinha, giz, lápis de cera… Quando montava a exposição para Zuzu, até alvejante usou para desenhar sobre tecidos. Os desenhos de Dani brotam de telas que podem ser tecidos, papel, parede, madeira e até na pele. Ela tem vários desenhos dela cicatrizados pelo corpo. Eu mesma  ganhei minha Frida particular, hora dessas vai para minha pele.

Onde ver as obras de Dani Acioli

Facebook / Instagram

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: