Kátia Ferreira: Instituto Proeza e a moda como ferramenta de transformação social

A Semana Fashion Revolution – Brasília promoveu o Seminário Perspectivas para a Moda Consciente no Brasil, realizado no Auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, no dia 24 de abril de 2018, Dia D da Revolução da Moda. O evento teve o apoio da Segunda Secretaria da Mesa Diretora da Câmara dos Deputados.

O seminário reuniu especialistas de várias áreas para falar sobre a cadeia produtiva da moda e também compartilhou experiências inspiradoras da moda consciente. Kátia Ferreira, empreendedora social da Apoena, falou sobre o Instituto Proeza, que há mais de dez anos trabalha com mulheres em situação de vulnerabilidade social no Recanto das Emas (DF).

O Instituto Proeza ensina mulheres a bordar e costurar. No processo, elas aprendem que dificuldade na vida não é sentença, mas força para mudar. A produção da marca Apoena tem peças de vestuário e decoração, que são fonte de renda para as famílias atendidas pelo Instituto.

Para realizar o que acredita, Kátia costura de redes de apoio. Alinhava parcerias como Inter-American Foundation, We Americas Initiative, UNESCO Brasil, Criança Esperança/TV Globo e CAIXA. Em 2015, ela representou o Brasil na Cúpula Global de Empreendedorismo, no Quênia. Já atuou como consultora no Projeto Jovens Lideranças, parceria da UNESCO Brasil, MRE/Agência ABC/Governo Federal/ Embaixada Brasileira em Guiné Bissau.

Em abril de 2018, o Instituto Proeza inaugurou a escola do Recanto das Emas, cidade onde já atua há uma década. O espaço oferecerá mais de 300 atendimentos por dia, com aulas de dança, bordado, costura, contraturno escolar para crianças e o pré-vestibular social. 

Kátia explica que proposta do empreendimento é reposicionar as relações familiares e promover o fortalecimento de vínculos. Para esse projeto, ela contou com a parceria da UNESCO Brasil, Criança Esperança/TV Globo, Inter-American Foundation, Clube de Cônjuges de Chefes de Missão Diplomática no Brasil e George Zardo Arquitetura.

“Adotamos estratégias de geração de renda e emprego para os adultos e mantemos as crianças na escola. A missão do Instituto é fazer com que jovens de famílias vulneráveis acessem o ensino superior. No último vestibular nosso índice de aprovação foi de 46% de jovens na Universidade de Brasília. Acreditamos na força e no poder transformador da educação na vida de crianças e jovens.”
Kátia Ferreira, Instituto Proeza

Instituto Proeza em Guiné

Kátia Ferreira ministra oficina de costura para mulheres em Guiné.

O Instituto Proeza tem como foco geração de renda para mulheres em situação vulnerável. A iniciativa cria oportunidades de educação para crianças e jovens e serviu de inspiração para o Projeto Jovens Lideranças, Reaplicando medidas Socioeducativas. Essa parceria da UNESCO Brasil, Ministério das Relações Exteriores, Agência Brasileira de Cooperação e Governo da Guiné Bissau foi acompanhada de perto pela diretora do Proeza, Kátia Ferreira que implantou oficina de geração de renda por meio da costura e bordado ao longo de três anos em Guiné.

Pré-vestibular social

Foto: Mariana Costa Amorim

“Entendemos que investir em educação tem um poder transformador. Trabalhamos para manter crianças na escola e colocar jovens/meninas em situação vulnerável para estudar em universidades federais. Ensinamos que meninos e meninas são iguais, que ambos precisam de respeito e que para combater as adversidades precisamos colaborar uns com os outros.”
Kátia Ferreira, Instituto Proeza

Histórias do Instituto Proeza

Thaynara é a primeira na família a ir para a Universidade. Quando falou para a mãe que queria estudar filosofia ouviu: “Isso é coisa pra gente rica, você precisa trabalhar”. Ela fazia um estágio remunerado e, incentivada pela equipe do Proeza, largou tudo para investir nos estudos. A mãe é empregada doméstica e não apoiou a decisão da filha. “Ela não me deu os parabéns, só me pergunta se é de graça mesmo”. Mas a fala não é de revolta: é compreensão pela falta de oportunidades de toda sua família. Três gerações sem acesso à educação. Ela é a primeira a ir para a universidade pública e diz que de agora em diante isso vai mudar.

A Clara sempre sonhou trabalhar na NASA. E não é que ela passou em primeiro lugar para o curso de Engenharia? Ela mora com a mãe e a irmã em um espaço modesto no fundo da casa da vó. A menina estudiosa fazia curso técnico e o pré-vestibular do Proeza fez a diferença no vestibular. “Eu sonhava em fazer um curso técnico para trabalhar e a equipe do Proeza me fez ver que eu podia mais.”

 

Carlos William mora no Gama Oeste com a mãe e duas irmãs mais novas. A mãe do Carlos trabalha como salgadeira numa lanchonete e completa a renda vendendo bolos e tortas. Ela nos contou que passou o mês com o sorriso no rosto quando viu o nome do filho na relação de aprovados da UnB. Estudioso, dedicado e disciplinado ele aproveitou bem a oportunidade do pré-vestibular social do Proeza. O sonho deste jovem sempre foi estudar psicologia, mas estava fazendo um curso técnico. No pré-vestibular do Proeza ele viu a oportunidade de poder ver as matérias cobradas no PAS e no ENEM. Foi aprovado com uma nota excelente e hoje estuda o que sempre desejou numa das melhores universidades do país.

Confira a apresentação de Kátia Ferreira no Seminário Perspectivas para a Moda Consciente no Brasil.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: