Ajude a salvar o Empório Lago Oeste

Praticamente todos os sábados eu vou ao Empório Lago Oeste para pegar a minha cesta de produtos orgânicos, cultivados pelo Vilmar no sítio logo ali em Planaltina (DF). Pago R$ 35 por 17 itens – frutas, verduras e legumes – que a lei da oferta da natureza oferece. Aproveito para tomar um caldo de cana e comer um pastel frito na hora, dar uma espiada nos defumados e queijos artesanais, provar iogurtes, pães, biscoitos, pastas… Dá ainda para paquerar as peças do Bosque Ateliê feitas com tingimento natural e impressão botânica.

O mais legal desse passeio, além de abastecer a despensa, é prosear com as pessoas que cultivam e preparam os nossos alimentos, ou fazem nossas roupas e acessórios. Aprender sobre os desafios de pequenos empreendedores e comemorar as vitórias deles. Lembrar que o Consumo Consciente está relacionado às escolhas dos itens que vão para nossa despensa ou armário, ao modo como tratamos o lixo ou usamos a água e à maneira como lidamos com a nossa comunidade.

Essa experiência comunitária, local e sustentável, totalmente alinhada ao Consumo Consciente, está sob fogo cruzado da usura do interesse econômico. A Asproeste, entidade que lidera a gestão do espaço, foi comunicada de que uma decisão em 2ª Instância do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, publicada no dia 30/10/2018, anulou o ato de permissão de uso do local onde se localiza o Empório e determinou a demolição da edificação. A sentença reformou a decisão dada em 1ª Instância, relativa ao processo movido pela empresa San Remo Posto Serviços contra a Asproeste e o DER/DF, em razão da construção do Empório Rural Lago Oeste.

Histórico do Empório Lago Oeste

O empório rural é o principal ponto de comercialização de produtores rurais e artesãos do Lago Oeste e áreas próximas e uma antiga iniciativa da Asproeste. Em meados de 2000, começou a funcionar como feirinha no estacionamento do Shopping Flamingo até ser transferida para o local atual. A primeira sede era feita em madeira e sapé e foi destruída por um incêndio. A estrutura atual foi construída com o apoio da Secretaria de Agricultura e Emater-DF e recursos do BNDES alocados pela Fundação Banco do Brasil. Em nota, a Asproeste infoma que está tomando as medidas jurídicas e que já se reuniu com as áreas correspondentes do DER-DF e da FBB.

Os emporistas organizaram um abaixo-assinado para coletar a adesão a comunidade em defesa da manutenção do Empório Lago Oeste.

Assine a petição

 

 

Um comentário

  1. Boa noite ! Sou cliente há mais de 7 anos! E nunca,nunca vi um rapaz que faz um cuscuz maravilhoso!!!! Nem em Fortaleza qdo fui lá!!! É b demais só comendo e aprovando o q eu e o povo q vai lá.Fica “lotado”!!!!

Deixe uma resposta