Outfit Comuna: vestida para comentar o vexame global

Design sem nome - 2019-09-26T121824.760

No 13º Outfit Comuna | Moda & Política Cynara Menezes, editora do site Socialista Morena, vestiu-se de dignidade e bom-humor para comentar o vexame global do ano. Na 27ª edição do programa “Reaça & Comuna”, do Poder360, que ela apresenta semanalmente com Mario Rosa, o reaça offline, eles analisam o assombroso discurso de Jair Messias Bolsonaro durante a abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), no dia 24 de setembro, em Nova York (EUA).

Os jornalistas citam as declarações do presidente que abarcam o socialismo, programa Mais Médicos, crimes ambientais, povos indígenas, Foro de São Paulo, soberania nacional, influência do líder norte-americano Donald Trump e outros assuntos. Mario e Cynara também comentam a repercussão nacional e internacional da fala do mandatário brasileiro. Ou, como bem destacou o reaça, uma live de Facebook. Com direito a muita paranoia e mentiras, claro. Assista ao quadro (38min11s):

Curiosidade – O terno usado pelo ecocida do Planalto para submeter a nação ao vexame sem precedentes perante o mundo, levou 30 dias para ficar pronto. O terno foi costurado pelo alfaiate Santino Gonçalves com o tecido brasileiro Super 120’s Paramount, com 100% lã. Ele não revela quanto custou. Nada que o cartão corporativo da Presidência da República não arque, sem nenhuma transparência. Afinal, a mamata acabou. (Fonte: Época)

24/09/2019 74™ Sess„o da Assembleia Geral das NaÁıes Unidas

Outfit Comuna

OutFit Comuna (logo)
Logo produzida por Jana Fernandes e Milena Fernandes para o blog.

Cynara veste figurino do acervo pessoal, com destaque para a blusa, comprada no comércio da Rua Augusta, em São Paulo (SP). A opção de comprar de pequenos varejistas fora dos shoppings é política. Afinal, ao prestigiar esse tipo de negócio, você contribui com o sustento de famílias que se viram para tocar esses pequenos estabelecimentos. As fotos são de Hanna Yahya/Poder360.

Comércio de Rua

Não é de hoje que as cidades têm assistido a deterioração de muitas de suas áreas tradicionais de comércio varejista, principalmente devido à implantação de grandes projetos concentradores da atividade comercial, como shopping centers e hipermercados. A concorrência com esses mega espaços para as compras tem piorado a situação econômica do comércio de rua. O resultado é a aceleração da degradação do espaço urbano que envolve estes centros comerciais.

É o caso da Avenida W3 Sul, em Brasília, a mais antiga do Plano Piloto. Muito antes da inauguração da capital federal, comerciantes da Cidade Livre, hoje Núcleo Bandeirante, ocuparam as primeiras lojas de alvenaria. O comércio era variado, de autopeças a roupas em geral. A via larga e com árvores plantadas em toda a extensão fazia parte do programa das tardes das primeiras famílias moradoras da cidade. 

Sou cheia de memórias da infância na Asa Sul, quando frequentei o comércio da W3 Sul com a minha saudosa mãe. A gente comprava roupas na Fofi e na Bibabô, fazia compras no supermercado Jumbo, Panelão ou Slavieiro, era cliente da Campineira e suas latas de biscoitos e comprava coisas de casa na Pioneira da Borracha.

Espia que legal o vídeo do João Carlos Amador, do canal Histórias de Brasília, sobre a icônica Fofi:

Por anos a fio, a W3 Sul foi o coração comercial do brasiliense. Hoje, está abandonada, cheia de portas fechadas e calçadas esburacadas e sujas. Há pelo menos 25 anos os brasilienses escutam promessas de revitalização do local. Em abril de 2019, o Governo do Distrito Federal anunciou o início da revitalização das quadras 511 e 512 Sul com investimento de R$ 1,8 milhão. Anunciou um prazo de 90 dias para conclusão da obra. 

Em 12 de setembro, com o prazo estourado, a Agência Brasília reportou que “a obra de revitalização das quadras 511/512 Sul, experiência-piloto para recuperar toda a via W3 Sul, está chegando ao fim. Com 98% dos serviços executados, no momento os operários trabalham na finalização das calçadas da W2 Sul e na lavagem dos estacionamentos e do novo piso das calçadas e dos becos entre os blocos.”

O projeto consiste em remodelar as vias W2 e W3 Sul, com reorganização dos estacionamentos, arborização e paisagismo, revitalização dos becos entre os blocos, recuperação e troca de piso das calçadas existentes. As obras incluem a troca da iluminação e a pintura de sinalização horizontal. Os lojistas vão reformar e padronizar as fachadas das lojas. O projeto de revitalização é uma parceria entre o GDF , a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio) e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

 

 

Deixe uma resposta