Movimento Brasília Maior que Covid-19 convoca costureiras e costureiros

90632967_2417708055137272_7467021843923042956_n

Na mesma sociedade em que grupos de pessoas, incluindo o chefe do Executivo, colocam a economia acima das vidas humanas, é um alento noticiar a criação do movimento “Brasília Maior do que Covid-19” (BMC)

A iniciativa surgiu em apoio às forças de saúde por estudantes de engenharia da Universidade de Brasília (UnB) e médicos do Hospital Universitário de Brasília (HUB). Um salve à balbúrdia!

O BMC abriu chamado para costureiras e costureiros do Distrito Federal para confecção de máscaras e aventais hospitalares. 

O tecido será fornecido pelo HUB e a distribuição será feita pelos integrantes do BMC para cada costureiro ou costureira que se comprometer em produzir, no mínimo, de 20 máscaras ou aventais por dia. 

Os voluntários e voluntárias receberão os moldes cortados e apenas farão a costura. Depois de prontos, os itens serão coletados pelo BMC e entregues ao HUB, que fará a distribuição para outras unidades de saúde. 

Sobre o BMC

O movimento BMC reúne cada vez mais profissionais e entusiastas do ramo de fabricação e prototipagem para a produção de itens médicos essenciais para enfrentar a crise do Covid-19.

Em um período de uma semana, a produção inicial saltou de 10 para 80 peças por dia, e a nova meta é de chegar a 500 peças diárias com o auxílio de empresas locais. 

Com a escassez crescente de itens médicos básicos, o BMC procura fabricar componentes viáveis de serem feitos de forma independente. 

Entre os itens que podem ser produzidos está o escudo facial transparente, que oferece uma proteção adicional a profissionais de saúde. O modelo tem componentes que podem ser impressos em 3D e outros que podem ser cortados a laser. 

Além do escudo facial, o BMC estuda a viabilidade de produção de aventais cirúrgicos e válvulas para respiradores de ventilação forçada. Sempre de acordo com protocolos de biossegurança. 

Os integrantes do BMC estão espalhados por várias regiões do Distrito Federal. A logística de produção e de distribuição tem sido desafiadora, afinal, é imprescindível seguir as normas de saúde para evitar a contaminação das pessoas. 

O maior problema enfrentado pelo BMC é a falta de recursos e de insumos para a produção desses itens. 

“Outra limitação do grupo é o transporte dos materiais e produtos finais, que pode ser resolvido com a utilização de entregadores. Quaisquer doações, parcerias ou investimentos são bem-vindos para o grupo conseguir aumentar cada vez mais a sua produção.””

Materiais aceitos como doação:

– Chapas PETG ou Acetato 2m x 1m (0,5 mm de espessura)

– Filamentos Impressão 3D PLA 1,75mm

– Elásticos Crus/Chatos 6mm x 10m OU 10mm x 10m

– Tecido SMS 60g/m²

Grupo BMC
Gabriel Grande (61) 99214-2049
João Pedro Freire (61) 99994-2295
Grupo de WhatsApp para costureiros e costureiras: https://chat.whatsapp.com/IUDczmW1XASHbJunMksWpC

 

Deixe uma resposta